Close

Notícias

Mulheres com mais de 65 anos são mais suscetíveis à artrose

Reprodução

De acordo com o médico ortopedista, Dr. Rogério Nascimento, de modo geral, a artrose é mais comum nas regiões que possuem articulações responsáveis por sustentar o peso do corpo como o quadril, a coluna e, principalmente, os joelhos. Apesar de frequentemente afetar pessoas com a idade mais avançada, ela pode afetar também pacientes mais jovens.

Causas e Sintomas

Questionado sobre as causas da artrose, o Dr. Rogério explicou que a doença ocorre devido ao desgaste de grande parte da cartilagem da articulação, que pode levar essa região a um desgaste progressivo. “Essa é uma patologia multifatorial, que envolve, a longo prazo, todos os elementos da articulação. É também uma condição musculoesquelética importante, caracterizada pela perda da cartilagem articular que leva à dor e à perda de função”, disse.

Ao falar sobre os principais fatores que levam à artrose, o ortopedista informou que a obesidade, a prática de esportes de alto impacto, os casos de artrose na família e as lesões na cartilagem propiciam o aparecimento da doença. Além disso, o médico também disse que as mulheres são mais suscetíveis ao problema.

Os principais sintomas da artrose, segundo ele, são dores leves que podem progredir e piorar com a realização de atividades físicas moderadas ou intensas como subir e descer escadas, realizar longas caminhadas, ficar longos períodos em pé, praticar atividades esportivas, entre outros fatores.

“Nesta fase, a dor melhora com o repouso e o uso de analgésicos e anti-inflamatórios. Com o avançar da artrose, os sintomas se acentuam e podem manifestar sinais como edema (inchaço) do joelho, deformidades progressivas no joelho (joelho arqueado ou joelho em “x”) e até limitação do movimento com a perda da extensão ou flexão do joelho”, explicou o Dr.

Diagnóstico

De acordo com o profissional, no caso do aparecimento da artrose, o paciente deve ser acompanhado por um especialista para que a doença seja investigada. “O médico deve afastar outras possíveis doenças associadas como osteonecrose, doenças reumatológicas, entre outras”, disse.

Para que a doença seja diagnosticada, o Dr. Rogério contou que a radiografia do joelho é uma ferramenta indispensável para a investigação e o acompanhamento da patologia. “Preferencialmente, optamos pela radiografia digital e com carga. O paciente deve ficar de pé e soltar todo o peso no momento de fazer a radiografia. Com a radiografia, é possível graduar a artrose e identificar todos os compartimentos do joelho acometido”, alegou.

Ainda conforme o especialista, a ressonância nuclear magnética não é uma ferramenta obrigatória para o diagnóstico da artrose; porém, em alguns casos, ela pode ajudar na realização do diagnóstico.

“O tratamento da artrose deve visar diminuir a progressão da doença com a perda de peso, corrigir os desalinhamentos dos membros, ganhar força muscular dos membros inferiores e aliviar o inchaço (edema)”, afirmou.

Tratamento

Após o diagnóstico da doença, o paciente deve iniciar o tratamento, que deve ser orientado de acordo com as causas agravantes da doença. “As orientações essenciais ao tratamento são perda de peso, fisioterapia, infiltrações, medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios prescritos exclusivamente pelo médico assistente”, explicou ele.

O médico disse, ainda, que “a infiltração de ácido hialurônico no joelho também é conhecida como viscosuplementação e baseia-se na reposição do líquido normalmente encontrado no joelho (líquido sinovial)”. Esse líquido citado pelo especialista possui a função de nutrir e lubrificar a cartilagem. Segundo ele, em pessoas com artrose, o líquido sinovial perde a função normal, motivo pelo qual a técnica citada torna-se uma opção de tratamento.

“Estudos recentes demonstram que a viscosuplementação apresenta melhoras temporárias da dor e outros sintomas em pacientes com artrose em estágios iniciais; já em estágios muito avançados de artrose, esse tratamento não apresenta resultados satisfatórios. O procedimento pode ser realizado no próprio consultório médico com os devidos cuidados de assepsia”, disse o Dr. Rogério.

Cirurgia

Para os pacientes que apresentam desalinhamentos dos membros como joelho valgo (joelho em “x”) ou joelho varo (joelho arqueado), a cirurgia do tipo osteomia pode ser eficaz e beneficiar o portador da doença.

“Devido a essas deformidades, o joelho acaba sofrendo muita pressão na parte medial ou lateral. Com isso, ocorre desgaste de um segmento do joelho enquanto o outro segmento continua íntegro. A osteotomia visa realinhar os ossos do membro inferior para fazer o “balanceamento” do joelho a fim de reequilibrar as forças atuantes no joelho e, com isso, melhorar a dor e a função da articulação”, informou o médico.

Ainda de acordo com o Dr. Rogério, o tratamento cirúrgico com prótese do joelho é indicado nos casos em que a doença está avançada e todas as opções de tratamento foram esgotadas, causando ao paciente dores e limitações.

Nosso WhatsappNosso Whatsapp